Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tarot na net: a qualquer hora e em qualquer lugar

Com o meu método, pode através da internet fazer uma tiragem de tarot com veracidade e seriedade sem sair de casa. Poderá experienciar o mundo do tarot de uma forma muito positiva: tarot_net@sapo.pt

Tarot na net: a qualquer hora e em qualquer lugar

Com o meu método, pode através da internet fazer uma tiragem de tarot com veracidade e seriedade sem sair de casa. Poderá experienciar o mundo do tarot de uma forma muito positiva: tarot_net@sapo.pt

11.02.12

Ficheiros Esotéricos: A Fraude


tarotnet

Uma consulta nunca é fácil de gerir, principalmente quando é alguém que chegou até mim com algum designio de encontrar a derradeira fraude ou o designio de finalmente provar que a tarologia é um embuste de primeira qualidade.

Este tipo de clientes são ciclicos e geralmente por mês encontro um ou dois e no mês passado não foi excepção. Chegou ao meu mail um pedido de ajuda por parte de um cliente, em que necessitava de ajuda para a vertente amorosa.

Precisava de orientação, algumas dicas de como melhorar esta parte da vida pois até agora nunca tinha tido sorte, lia-se no mail. Como habitual agendamos a data da consulta e à hora marcada estava online.

Eu aconselho sempre a leitura do meu blogue para os esclarecimentos adicionais pois penso que esteja muito bem descrito como se realiza a consulta, isto evita margem para erro no que diz respeito à minha forma de trabalhar ou de lidar com o cliente. Mas neste caso antes da consulta o cliente questionou-me a razão de pedir os dados dele (nome completo, data de nascimento e localidade de residencia) e eu expliquei-lhe de que doutro forma não conseguiria concentrar-me na pessoa dele pois como seria para mim à distancia ser possivel realizar a consulta se não tinha os dados da pessoa, estaria a pensar num vazio. Numa consulta presencial o cliente baralha mas neste caso não é possivel daí só com os dados. Ele achou estranho e começou a divagar sobre os perigos da internet em revelar informações privadas e eu mais uma vez lhe disse que não queria saber nada de privado ou intimo, apenas o nome, data de nascimento e o nome da cidade e até brinquei que com essa informação não poderia ir a um banco e levantar a conta da pessoa.

O cliente lá deu os dados e questionou-me sobre a minha forma de trabalhar, porque razão ele tem de fazer perguntas, porque é que eu como outros tarólogos fazem não lhe lanço as cartas e lhe digo tudo o que ele quer saber.

Mais uma vez lhe explico que cada um de nós tem uma forma de trabalhar e se ele não concorda com este método não há problema nenhum, amigos na mesma e não realizamos a consulta, informo-o que pensei que ele tinha lido no blogue a metodologia para dissipar duvidas mas se existe um choque tão grande com o meu método então o melhor é não se realizar a consulta porque dificilmente a mesma será proveitosa para ele.

Ele diz que não e que podemos começar.

Concentro-me nele e começo a expor o que sai mas ele informa-me que não, não estava correcto e que nada do que dizia era verdade.

Passado 30 minutos de nada bater certo assumo o meu falhanço porque a consulta não está a correr como desejado e não adianta avançar mais porque a leitura não está a sair correcta.

Ele então muito triunfal informa-me que já sabia que eu era uma fraude e por isso me tinha facultado dados falsos só para ver se eu conseguia descobrir a verdadeira vida dele!!!!

Digo-lhe que não sou adivinho e se me deu dados falsos então tinha pena porque estivemos a perder tempo os dois e despedi-me com saudações de boa noite.

Tenho dificuldade em perceber a razão de alguém fazer-me perder tempo com o proposito de provar seja o que for, primeiro vamos os dois perder tempo, a pessoa por estar em linha comigo e eu obviamente. Como segundo aspecto eu na minha vida pessoal quando não gosto de uma coisa nem tempo ir lá, não gosto de sopa não como, não gosto do sporting não vejo nenhum jogo e se não gosto de tal filme não o alugo.

Qual será então a explicação para alguém que não gosta ou não acredita em tarologia venha perder o seu tempo em tentar realizar uma consulta e ainda por cima omitindo factos e desvirtuando por completo a premissa inicial.

Sinceramente não sei mas é algo que já aceitei como fazendo parte do meu trabalho pois maluquinhos existem em todo o lado e neste ramo também :-)

Vamos lá ver se Fevereiro me dá uma surpresa agradavel e não aparecer nenhum na minha caixa do correio :-)

Até breve

 

19.09.11

Ficheiros Esotéricos: A voz interior


tarotnet

Todos nós sentimos em algum momento que algo não estava bem, uma sensação, um sinal de alerta. Uns chamam intuição, outros voz interior e até ciencia já se debruçou sobre isso e apelidou de sistema de defesa que com os anos foi perdendo apuramento.

Sendo que uns demonstram mais e outros menos não é menos verdade que todos de forma mais ou menos geral já passamos e conhecemos esta sensação.

Este post vem apelar para que não duvidem desse sentimento isto porque algumas vezes cometemos erros que seriam totalmente desnecessários, senão vejamos:

Uma jovem, como tantas outras, conheceu alguém e resolveram juntar-se, aos vinte engravida pela primeira vez mas o companheiro ainda não está preparado e decidem abortar, um procedimento sempre complexo mas que ele gere de forma ligeira. Continuam juntos e passado um ano ela engravida novamente, mais uma vez o companheiro não aceita e mais uma vez ela aborta. Aos 24 anos engravida novamente e desta vez decidem ter o bébé. Passado 9 menos do nascimento ele deixa a jovem e ela fica sozinha com o encargo de cuidar de uma criança.

De forma resumida aqui temos uma situação que talvez vocês reconheçam de alguém perto de vós pois esta narrativa prolifera pelas cidades de norte a sul.

A minha pergunta hoje e foi a mesma na altura que tomei conhecimento deste caso foi saber o porquê de terem engravidado tantas vezes? Não bastaria ter ocorrido uma vez para se saber de imediato que algo não estava bem com aquele casal?

Quem no seu perfeito papel de companheiro consegue deixar a companheiro passar por um aborto sozinha e simplesmente renegar para secundário o seu papel na concepção da criança.

Costumo dizer que são preciso dois para dançar o tango e um homem tem tanta responsabilidade como a mulher ao conceberem uma criança, já existem aos anos métodos contraceptivos que impedem estes erros. Desde já o preservativo, a pilula, os dois sozinhos ou os dois combinados e em ultimo recurso a pílula do dia seguinte. Por isso é preciso responsabilizar os dois elementos do casal quando uma gravidez acontece mas depois de acontecer é preciso naturalmente gerir a situação e o aborto pode ser uma hipotese mas não convém fazer disso a solução recorrente.

Neste caso a jovem não deu ouvidos à sua voz interior que lhe dizia que este homem não era o ideal para ela e como não lhe deu ouvidos foi permitindo que os anos passassem e aguns erros foram cometidos até chegarmos à situação de agora ter de gerir uma carreira, um filho e uma mágoa grande.

Será que podemos ou devemos dizer que ela errou? Não gosto de apontar o dedo e por isso quero só sublinhar que a nossa intuição existe por algum motivo e que devemos sempre ouvi-la, ela ajuda-nos e serve para facilitar a nossa vida, nem que seja só para sairmos de casa com o guarda chuva .-)

Obviamente que a vida não termina com a chegada de um filho, bem pelo contrário, fica mais rica e intensa mas se pudermos fazer tudo de forma a termos mais ajuda penso que seja uma atitude mais benéfica :-)

Desde exemplo também podemos retirar a lição de que as mulheres continuam a ser melhores exemplos na sociedade do que os homens, pois infelizmente nos momentos mais decisivos os homens tendem a fugir enquanto a mulher encara o animal de frente e interrogo-me se os homens eventualmente pudessem engravidar se a humanidade não estava já extinta!!

01.12.07

Ficheiros Esotéricos: Mais sobre o método


tarotnet

Como bem sabem o meu método de tarologia é através da internet, o que faz com que não exista contacto fisico entre o consultante e mim. Este aspecto pode ser importante caso sejam daquelas pessoas que só consigam realizar as consultas de tarologia presencialmente, tocando no baralho de tarot.

Efectivamente pelo meu método, esse facto não pode ser contornado e é susbtituido pela concentração da minha parte na pessoa em si, ou na situação que me é relatada.

Isto faz com que da minha parte seja sempre necessário a maior atenção possivel e uma concentração máxima na pessoa e durante a consulta, para que as tiragens de tarot representem sempre a maior veracidade possivel.

Daí que existam situações, especicamente situações que envolvam a minha pessoa e por vezes sou "obrigado" a cancelar as consulta ou a adiar devido a não poder dar o meu melhor.

Como foi o caso da semana passada em que estive doente, com dores de garganta e gripe e não estava no meu melhor.

Quando estas situações acontecem, eu opto sempre pela verdade (nem pode ser de outra forma) e sei que não consigo estar a prestar um bom serviço e por isso é preferivel, em último caso perder até o cliente, adiar a consulta para outra data.

Acho que vocês merecem isso e acima de tudo isso faz parte da minha forma de estar nesta área. Se não estou bem, não posso também contribuir com a totalidade das minhas capacidades na resolução do problema que me é colocado.

Agradeço a vossa compreensão, porque muitas vezes a consulta está já marcada com antecedencia mas existem situações que me ultrapassam, como é o caso da gripe :-(

Entretanto já estou restabelecido e preparado para outra (que espero bem que não venha tão cedo!!!), porque não devo ser o único, mas estar doente é mesmo do pior :-)

Envio os meus cumprimentos para todos vós e um especial para todos os leitores e clientes que estão nos quartos a ler este post, com os lenços de papel e o xarope para a tosse na mesinha de cabeceira. Fiquem bem e rápidas melhoras.

Lembrem-se disto, hoje estamos menos bem, mas amanha já vamos estar bem melhor :-)

Até breve

13.10.07

Ficheiros Esotéricos: Amor


tarotnet

Hoje vou falar-vos um pouco de amor, ou pelo menos vou tentar falar sobre o que é isto do amor :-) Do meu ponto de vista obviamente, porque não sou nenhum especialista.

Este post surge no seguimento do que me acontece muitas vezes que é ver algum programa que eu ache interessante a temática desenvolvida e depois eu costumo estar a ver e a reflectir sobre aquilo e usualmente sai sempre qualquer coisa para escrever.

Muitas vezes estou a ver algum programa e ouço alguma coisa que tem a ver com alguma consulta realizada nesse dia e eu imediatamente envio um mail à pessoa/cliente em causa e lá volto a ser "maçador" e partilho com ela aquilo que ouvi e depois a reflexão feita. Fica aqui publicamente o meu pedido de desculpas aos clientes que depois eu chateio com este mails reflectivos, mas é por uma boa causa :-) Pelo menos eu penso que é, se um dia receberem um mail destes e acharem que já estou a ser demasiado chato, podem dizer que não me importo! :-)

Mas voltando ao tópico de hoje, vi esta semana um programa com o Julio Machado Vaz e abordou questões muito pertinentes e que passo a tentar reproduzir, a parte seguinte é uma citação mais ou menos fidedigna do que ele disse e desde já expresso o "plágio" realizado :-)

O Julio Machado Vaz contou que uma investigadora fez um estudo para determinar o que seria o amor e outras questões ligadas ao amor e para isso arranjou um grupo de pessoas e contou-lhes duas histórias. A primeira história retrata um rapaz que faz uma viagem de comboio, uma daquelas viagens em que se fica a bordo do comboio muitos dias e o rapaz diariamente fazia as refeições na carruagem-restaurante e durante a viagem acontecia-lhe que nunca tinha uma mesa disponivel apenas para ele. Ele viu-se obrigado a partilhar o tempo de refeição sempre com a mesma pessoa e que neste caso era uma rapariga que também estava de viagem. Apesar de depois da refeição não se voltarem a ver até à refeição, seguinte aqueles momentos que partilharam começaram a ser muito interessantes e quando a viagem chegou ao fim, ele decidiram imediatamente casar porque tinham sentido uma ligação. Relembro que apenas tinham conversado à hora das refeições, nem beijos, nem sexo, nada :-)!!

A segunda história relata dois jovens, um rapaz e uma rapariga, que apenas têm tempo para os estudos e nada mais. Os pais de ambos conhecem-se e quando eles terminam os estudos acham boa ideia apresentar um ao outro, podia ser que eles até gostassem de se conhecer.

O rapaz e a rapariga começam a sair juntos, cinema, teatro, ver que até têm coisas em comum e decidem namorar e depois casar.

A investigadora pergunta então ao grupo qual dos casais da história eles acham que vai dar certo como relação de futuro?

A maioria das pessoas do grupo acredita que o segundo casal tem mais hipoteses de sucesso, porque tomaram uma decisão reflectiva. O primeiro casal foi considerado pelo grupo como agindo imaturamente e totalmente irrealista e que foi uma paixão.

Bem :-) A pergunta mais interessante deste questionário ao grupo foi a que perguntava qual das histórias as pessoas preferiam ter vivido? A maioria opta pela primeira história :-)

Aquela que é aceite por todas a que não vai ter sucesso!! ehehehhehehheheeh

E quando eu ouvi isto, comecei logo a pensar, de facto nós queremos e desejamos cada coisa, tão distinta :-)

Mas a beleza do amor é isso mesmo não é? Durante as consultas, posso conversar e ver que cada uma das pessoas tem necessidades diversas, o que para uma é algo impensavel é para outra algo de desejavel.

Cada vez mais me convenço que o "amor e uma cabana" funcionam bem a nivel de literatura ou então no brasil ou outro país desse género mas tendo o dito casal uma avença mensal enviada de algum país mais rico, para que consigam de forma "modesta" levar a vida.

Na verdade as pessoas falam em homem ideal, mulher ideal e depois não é isso que importa. De que serve um homem ideal, que trate bem a mulher, que a ame, que a acarinhe, lhe diga diariamente que ela é a mulher da vida dele, se depois este homem não tem emprego por exemplo. Não consegue arranjar nada, como vai ser??? O amor vai resistir?

Ou então ter a mulher perfeita mas também não tem emprego, como é??

Estas questões são pertinentes porque tocam num ponto que para mim é central, nós falamos de amor e carinho, atenção e dedicação, mas só isso não chega. A pessoa hoje em dia tem de trazer consigo toda uma panóplia de dados adquiridos que resta muito pouco espaço para a ideia de homem ideal, só mesmo depois de tudo correcto, ele ter emprego, carro, preferencia casa, boa posição, fazer ginástica, cheirar bem, gostar de crianças e no final ainda se levantar às 7h da manhã para fazer o pequeno almoço :-) Aí será perfeito.

Mas até nesse a perfeição não vai durar muito :-)ehehheheheehhehhe

O amor é tão pessoal e ao mesmo tempo tão construido, que chego a duvidar se aquilo que acho ser amor é mesmo de mim ou se é de algo que li e gostei que assim fosse :-)